Domingo de Ramos: Vamos ao encontro do Senhor que vem!

Domingo de Ramos: Vamos ao encontro do Senhor que vem!

Chegamos ao ponto alto deste Caminho Quaresmal: a entrada de Jesus na Cidade Santa de Jerusalém. É esse acontecimento que marca decididamente o nosso Tempo e a nossa História. A partir de então esta semana para nós não é mais uma semana como as outras porque revestida com o Tom de uma santidade que ultrapassa a compreensão da nossa razão, do nosso entendimento, e nos introduz no Mistério de um Deus que livremente se entrega nas mãos dos homens, que livremente escolhe infiltrar-se no meio da multidão, caracterizado de simplicidade e de humildade, de mansidão e de ternura, mas decido a enfrentar a rejeição, a traição, a condenação e a morte de cruz (cf. Fl 2,6-11). Onde encontra Jesus a força para vencer com a mansidão a violência dos homens (cf. Is 50,4-7)? No amor, amor fiel ao Pai; amor sem medidas a nós, pecadores. Então vamos ao seu encontro com os mantos da nossa compaixão, do nosso reconhecimento, da nossa gratidão.

Mc  11,1-10: “Naquele tempo, ao se aproximarem de Jerusalém, diante de Betfagé e de Betânia, perto do Monte das Oliveiras, Jesus enviou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: “Ide à aldeia que está à vossa frente. Entrando nela, encontrareis imediatamente um jumentinho amarrado, que ninguém montou ainda. Soltai-o e trazei-o. E se alguém vos disser: ‘Por que fazeis isso?’ dizei: ‘O Senhor precisa dele, e logo o mandará de volta”. Foram e acharam um jumentinho amarrado na rua junto a uma porta, e o soltaram. Alguns dos que ali se encontravam disseram: ‘Por que soltais o jumentinho?’ Responderam como Jesus havia dito e eles os deixaram partir. Levaram a Jesus o jumentinho, sobre o qual puseram suas vestes. E ele o montou. Muitos estenderam suas vestes pelo caminho, outros puseram ramos que haviam apanhado nos campos. Os que iam na frente dele e os que o seguiam gritavam: ‘Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito o Reino que vem, o Reino do nosso pai Davi! Hosana no mais alto dos céus!”

 Para ressoar durante esta semana: Jesus Cristo, meu Senhor, se fez obediente até a morte, e morte de cruz!

Madre Ília, mulher eucarística, ensina-nos a acompanhar os passos decisivos de Jesus, a não perdê-lo de vista nestes dias intensos de Sua Paixão, a consolá-lo quando a amargura da solidão pressionar Seu Divino e Humano Coração.